24 de ago de 2011 | 18:13 | 2 Comentários

Papel, caneta e pensamentos lV

Poesia 7
Eternas amantes.

Olhar fixo, nos seus.
Sinto um desejo.
Meu e seu.
O cheiro, é de sexo.
No ar.
Convite certo.
Para uma boa cama.
Rolar.
Nossa barreira.
É da espessura.
De um fio de cabelo.
Acendeu, o sinal está verde.
O fogo, é intenso.
Vamos, nos enrolar.
Vamos, nos entregar.
Vamos, gozar.
Até o dia clarear.
Ou até, aonde o nosso tempo permitir.
Somos, uma só aqui.
Quando, estivermos empapuçadas de amor.
Vamos, descansar.
Vamos, nos carinhar.
Vamos, nos amar.
Mais, do que antes.
Só deixar.
Fica quietinha em meus braços.
Deixa o mundo lá fora.
Que aqui dentro.
Com você eu me acho.
Acolhida em seus braços.
Vamos, dormir.
O sono dos anjos, como antes.
Acordar, com a esperança positiva.
De sermos, eternas amantes.
Eternas amantes.
Poesia 8
Talvez, você.

Olhei, para dentro de mim.
Enxerguei um vazio.
Uma ausência de carinho.
Meus olhos, marejados de lágrimas.

Começam, escorrer como um rio.
A solidão momentânea.
É a companheira presente.
Me sinto só e pequenininha.
Sensibilidade aflorada.

Mas, não me acovardo.
Diante de triste constatação.
Creio em Deus.
Acredito, em dias melhores.
Dias, com o sol de verão.

Seco os meus olhos.
Que vermelhos ficaram.
Para a vida disparo.
Estou triste, porém não estou vencida.
Encontro-me só, porém não estou sozinha.

Ainda, acredito no amor.
Com dom de curar.
Como forma de transformação.

Meu coração, não está petrificado.
Nem congelado.
Ele pode estar morno.
Querendo ficar quente.
Conhecer gente.

Alguém.
Talvez, você.




Por Daniella Dell Ossi
Vejam o link de divulgação do meu trabalho.
Em breve novas poesias aqui no papo delas.
Espero que gostem e aguardo opiniões sinceras.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...